Busca

Rafaell Xffh

um blog feito para você

minha sombra na escuridão

minha sombra na escuridão
largada abandonada
apenas na solidão

mais ate um dia encontre um sombra
com cabelos pretos olhos negros
um sombra oposta de min
mais muito divertida e bela

esta sombra me faz feliz
um dia
em conto esta ao meu lado

porque as luzes já se apagarão
as velhas já não existe mais
o meu amor já ser foi embora
o que só me resto foi apenas a dor

minha sombra esta escondida
para encontra um novo amor
que não seja apenas um ilusão
mais sim seja um amor do coração

Rafaell ferrera

Anúncios

Poema

Eu hoje tive um pesadelo
E levantei atento, a tempo
Eu acordei com medo
E procurei no escuro
Alguém com seu carinho
E lembrei de um tempo

Porque o passado me traz uma lembrança
Do tempo que eu era criança
E o medo era motivo de choro
Desculpa pra um abraço ou um consolo

Hoje eu acordei com medo
Mas não chorei nem reclamei abrigo
Do escuro, eu via um infinito
Sem presente, passado ou futuro
Senti um abraço forte, já não era medo
Era uma coisa sua que ficou em mim (que não tem fim)

De repente, a gente vê que perdeu
Ou está perdendo alguma coisa
Morna e ingênua que vai ficando no caminho
Que é escuro e frio, mas também bonito porque é iluminado
Pela beleza do que aconteceu há minutos atrás

 

Cazuza

Areá 51

Meu mundo é como
sem pestanejara area 51
e eu sou um alien

O governo me prendeu
mais um dia vou voltar
um calor em meio ao frio me aqueceu
e nesse dia que a liberdade eu ganhar
tudo é festa
e eu saberei quem sou

Meu mundo, não sou eu
e não sou a solução que quero ver
vo na igreja sem fé
meus amigos ouvem samba e axé
me sinto preso e sem nó
moro no céu
de onde o papel pode me levar

Sou só um humilde
poeta marginal
o unico que detesta
não só a poesia da sua mente
e sim de ser um poeta carente.

Evangelino

obrigado por me enviar este poema joão – RJ
aliens-ahead

Memória

Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão

Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão.

Carlos Drummond de Andrade

A UM AUSENTE

Tenho razão de sentir saudade,
tenho razão de te acusar.
Houve um pacto implícito que rompeste
e sem te despedires foste embora.
Detonaste o pacto.
Detonaste a vida geral, a comum aquiescência
de viver e explorar os rumos de obscuridade
sem prazo sem consulta sem provocação
até o limite das folhas caídas na hora de cair.

Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enlouqueceu, enlouquecendo nossas horas.
Que poderias ter feito de mais grave
do que o ato sem continuação, o ato em si,
o ato que não ousamos nem sabemos ousar
porque depois dele não há nada?

Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso, voz
modulando sílabas conhecidas e banais
que eram sempre certeza e segurança.

Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste
o não previsto nas leis da amizade e da natureza
nem nos deixaste sequer o direito de indagar
porque o fizeste, porque te foste.

Carlos Drummond de Andrade

Evolução

Fui rocha em tempo, e fui no mundo antigo
tronco ou ramo na incógnita floresta…
Onda, espumei, quebrando-me na aresta
Do granito, antiquíssimo inimigo…

Rugi, fera talvez, buscando abrigo
Na caverna que ensombra urze e giesta;
O, monstro primitivo, ergui a testa
No limoso paúl, glauco pascigo…

Hoje sou homem, e na sombra enorme
Vejo, a meus pés, a escada multiforme,
Que desce, em espirais, da imensidade…

Interrogo o infinito e às vezes choro…
Mas estendendo as mãos no vácuo, adoro
E aspiro unicamente à liberdade.

Antero de Quental, in “Sonetos”

NOITE DE VERÃO

lembra-se daquela noite
quente de verão
o sol caiu
nos deixando na escuridão

a lua iluminava o vazio
e eu peço perdão
a rosa e o vinho
eram suas únicas soluções

por que ainda esta aqui
por que tem que me perseguir
o meu corpo ele esta cansado demais
e pra longe de você ele vai

Luis Torneol blog zona fantasma http://spiritumzone.blogspot.com.br/

Poema futurista

É domingo: folga. -O dia todo em casa.
Acordo…Ar puro, liberdade.
Televisão, telefone sem fio, computador.
Ah! Liberdade…O mundo bem pertinho.

Não!? O computador não ligou,
O telefone está mudo. Liga televisão, liga! Vai!
Faltou luz, faltou energia, não há eletricidade.
Estou só: há um silêncio.

O computador está em silêncio.
A televisão está em silêncio.
O telefone está em silêncio.
O que fazer? Aonde ir?

Não sei conversar.
Sei digitar, clicar, ligar.

Uma caminhada para passar o tempo, quem sabe?
Ah! A esteira funciona a energia.
Caminhar lá fora é perigoso, tem pessoas.
Pessoas de verdade, de carne: elas desejam mal!

Que falta de ar, de energia, de ar… Estou morrendo.
Ando pra cá, pra lá. Que agonia, estou sufocado.
Estou fraco, morrendo, morren…morr…mo…

A luz acendeu! Há barulho: músicas lá fora.
A televisão liga… O computador liga…A vida continua.

Por Isaac Sabino

TEMPO

O tempo passa no relógio
O tempo passa na vida
Sem ninguém perceber
Apenas o que queremos
E viver
Tempo modifica as coisas
O tempo cura
O tempo perdoa
O tempo cicatriza
As feriadas
O tempo passa na
Nossa vida sem
Dor ou piedade
Mais o que seria de nos
Sem o tempo?
Não tem resposta
Apenas viveremos o tempo

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑